Seg, 24 de julho de 2017, 10:04

Oficinas da SEMANAU fazem estudantes pensar sobre alternativas de como melhorar a vida coletiva.
As oficinas aconteceram no campus laranjeira e também na ocupação Vitória da Ilha, na Barra dos coqueiros.

No segundo dia, quarta-feira (12), da VII semana de Arquitetura de Urbanismo (SEMANAU), começaram as oficinas, que tinham como objetivo levar os estudantes e participantes a pensar alternativas simples e econômicas de como melhorar a vida coletiva, além de mostrar a cidade por outros olhares. Foram ofertadas 18 oficinas ao todo, dividas em três eixos temáticos: Resistência urbana; Projeto participativo e assistência social; Viva a resistência. As oficinas ocorreram no campus laranjeiras, pelas ruas da cidade, no rio cotinguiba e na ocupação Vitória da Ilha, na Barra dos coqueiros.

O CINELAR foi uma das oficinas que ocorreram no segundo dia de SEMANAU, nele foram exposto três curta metragem: Ocupe a Cidade de Kaippe Reis e Thais Ramos -O Muro é o Meio de Eudaldo Monção e O Corpo é Meu documentário de Luciana Oliveira. Após a exibição dos curtas houve um debate com os diretores. Além dessa, aconteceu também a oficina de Cenografia Urbana, onde os participantes saíram para fotografar coisas da cidade que se encaixam no espaço urbano, após esse exercício prático houve uma comparação com as fotografias que a oficiante trouxe.

A oficina de Stencil saiu das dependências do Campus e buscou uma interação com a comunidade para a construção de um mural. Foram usados papel acetato e os sprays onde os participantes expuseram o que queriam. Essa oficina se iniciou no CampusLar e se estendeu com a criação de um painel na ocupação do MOTU na Barra dos coqueiros.

Outra oficina que também foi integrada na ocupação foi a de mobiliário urbano, que foi dividida em três dias sendo o primeiro o planejamento, analisando a demanda dos materiais que seriam utilizados, no segundo dia foram pintadas as primeiras peças dos materiais, e no terceiro dia foi a montagem do que eles aviam pensado em fazer na Ocupação. Ainda no primeiro dia de oficinas ocorreu a oficina de Teatro do oprimido, onde os participantes puderam produzir uma breve encenação que foi apresentada na palestra na tarde do mesmo dia.

No terceiro dia de SEMANAU ocorreu a oficina de Saboaria artesanal, que foi pensada e criada para retomar o contato com o que consumimos, ela estimulou um maior cuidado com nossa saúde, independência, maior conhecimento das nossas necessidades e um consumo consciente. Além disso, o aprendizado dessa oficina possibilita um incremento na renda e tambem propõe uma relação a mais com a natureza.

A oficina de ar condicionado ecológico propôs construir um artifício que ajude aos moradores da ocupação Vitória da Ilha, no conforto térmico de suas habitações, além de servir como meio de reciclagem das garrafas pets que podem ser arrecadadas até pelos moradores. A oficina foi divida em duas partes sendo a primeira na elaboração de prototipos e a segunda na ocupacao junto com os moradores a parte prática onde será construida o ar condicionado.

A oficina de Acessibilidade e direito a cidade teve como principal objetivo promover uma reflexão sobre as condições da acessibidade na cidade de Laranjeiras, no primeiro dia foi expoto os conceitos, as legislações e as possiveis soluções. No segundo momento de imerção onde os participantes se colocaram em condições de um deficiente e saíram pela cidade para analisar se ela é acessível. A meta dessa oficina foi contribuir para a formação dos discentes, concientizando sobre a importância do Arquiteto e Urbanista na promoção do direito à cidade.

Na sexta-feira a oficina de Espaços Residuais consistiu em produzir uma instalação artística no CampusLar como forma de crítica à subutilização dessas áreas e de experimentação acerca dos variados usos que esses locais são potencialmente capazes de abrigar. Os participantes e a oficiante decidiram um local a ser realizada a intervenção e através da modelagem de esculturas em fios de arame, demonstram possibilidades de reversão do caráter residual desses locais.

Além dessas oficinas ainda aconteceram outras cujos temas foram: Caçando o Aeygis Egypsy, Florecendo Laranjeiras, Campus-Lar conte-nos a sua hisória, Conhecendo Laranjeiras e Águas do contiguiba.


Atualizado em: Seg, 24 de julho de 2017, 10:10
Notícias UFS
Avaliação
UFS é destaque no Enade 2016
Enfermagem e Nutrição (ambos de Lagarto) e Fisioterapia (Aracaju) obtiveram nota máxima; veja nota de outros cursos